CORRENTE DO BEM - Black Purpurin
16706
post-template-default,single,single-post,postid-16706,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,columns-3,qode-theme-ver-16.8,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive

CORRENTE DO BEM

CORRENTE DO BEM

 

Suelen nos conta a história da Corrente do Bem, iniciativa tomada por um grupo de mulheres na cidade de Tubarão.  O grupo realiza trabalho voluntário e hoje conta com mais de 20 amigos. Juntos, realizam visitas aos sábados em asilos de idosos e na sessão pediátrica de hospitais para promover o bem!

Como iniciou a Corrente do Bem?

Suelen é estudante. Mas  seu primeiro contato com o trabalho voluntário foi numa creche perto de casa.  Porque esteve por 6 meses convivendo com as crianças.  E a partir daí, com sua irmã e algumas amigas, começaram a visitar um asilo de idosos aos sábados. Nessas visitas, iam para conversar com eles, dar atenção, e via o bem que se fazia através apenas da companhia. Mas hoje, além das visitas, eles servem o café da tarde no asilo e realizam também festas nas datas especiais, como dia das mães, dia dos pais, festa junina, natal, etc. Porque na pediatria, começaram com a proposta de ler histórias para as crianças, e hoje levam fantoches, brinquedos também. Mas, em alguns casos o grupo ajuda também alguma família ou pessoa específica que solicita ajuda, o grupo se junta para arrecadar o necessário e entrega para aquelas pessoas.

“Cada um ajuda como pode”, diz Suelen. Mas, como nem todos podiam ir nas visitas sempre, colaboravam arrecadando algo, faziam um bolo. Ao longo da entrevista, ela nos mostra como é incrível o quão poderoso se torna o fazer o bem. Porque, as vezes, só basta um pouco de tempo para escutar alguém e transformar o dia da pessoa.

 

Por onde começar?

“Eu acho que sempre tive esse sonho… Sempre quis fazer um trabalho voluntário e não sabia o que fazer e nem por onde começar!”, nos confessou. Da mesma maneira que pensava a Suelen, existem muitas de nós que querem tomar uma atitude e não sabem qual o primeiro passo a tomar. A dica que ela dá é: tira um dia e vai fazer uma visita! Num asilo, numa creche, onde se sentir mais à vontade. E você vai ver o bem que te faz fazer o bem pelo outro… é uma verdadeira corrente. Reúna um grupo como o da Suelen, e espalhe o bem também! E poderá perceber que quanto mais bem a gente faz, consequentemente, mais enxergamos que ainda há bondade no mundo.

No Comments

Post A Comment